ArticulaçõesDicasSaúde

Como prevenir problemas articulares

As lesões articulares podem ocorrer em qualquer tipo de atividade esportiva, no entanto, atividades de alta intensidade que exigem bastante do corpo do praticante trazem maiores possibilidades de gerar lesões, principalmente se forem mal executadas ou indevidamente orientadas. O Crossfit, por exemplo, é uma modalidade esportiva que se utiliza de diversas combinações de exercícios de alta intensidade, por isso, relatos de lesões podem ser mais comuns nesse tipo de prática. No entanto, a realidade é que lesões articulares são mais comuns do que imaginamos, e praticantes de atividades físicas têm 85% mais chances de desenvolver problemas articulares, enquanto 50% das pessoas acima de 50 anos possuem esse tipo de problema.

As lesões articulares e suas principais causas

As articulações são responsáveis por unir nossos ossos e permitir que todo o corpo se movimente, portanto, estão presentes em nossos ombros, joelhos, coluna, quadril, pernas, braços e todo o resto do corpo. Existem diferentes classificações para as articulações e uma dessas classificações pode ser feita a partir dos materiais encontrados entre as articulações, sendo três  tipos: articulação fibrosa (tecido conjuntivo fibroso), articulação cartilaginosa (tecido cartilaginoso) articulação sinovial (líquido sinovial).

“Atletas e desportistas apresentam alguns padrões de dores articulares devido à sobrecarga da atividade física que eles executam. Esportes como crossfit, basquete, corridas, futebol, enfim, esportes com impactos excessivos a nível de articulação, acabam gerando aumento de dor, e isso acontece porque existem movimentos errados que os desportistas executam e a prática excessiva daquele movimento acaba gerando o desgaste da articulação, aumentando assim o padrão de dor de um processo inflamatório”, explica o Fisioterapeuta Rafael Vieira.

As pessoas que treinam buscam sempre o emagrecimento, a formação de um corpo super definido e maior resistência, mas poucas pessoas lembram de cuidar da saúde das articulações, seja para prevenir lesões ou diminuir as dores, e uma hora a conta pode chegar.

Além dessas condições, as dores e problemas nas articulações também podem ser causadas por doenças, tais como artrite, bursite, febre reumática, tendinite e diversas outras enfermidades. As causas que levam ao aparecimento dessas doenças são diversas, no entanto, muitas são consequência do desgaste natural das articulações. A artrite, por exemplo, é uma doença ocasionada pelo desgaste da cartilagem articular e por alterações ósseas, um exemplo é o famoso “bico de papagaio”.

Além disso, as dores também podem ser ocasionadas por lesões causadas por uma série de motivos: 

– exercícios sem orientação adequada;

– falta de alongamento;

– utilização de calçados inadequados;

– prática de atividades que vão além do limite corporal;

– exagero na quantidade de exercícios;

– excesso de peso.

7 Passos para prevenir problemas articulares

1. Conheça o seu corpo

Se você é completamente sedentário(a), não deve iniciar uma rotina de exercícios através de atividades de alto impacto. Dependendo do tipo de exercício que você queira começar a praticar, seu corpo precisará passar por um período de adaptação.

Antes de iniciar qualquer tipo de exercício, é altamente recomendado que você vá ao médico e busque entender quais as suas reais condições corporais. Se necessário, comece por exercícios leves e que fortaleçam os seus músculos e articulações, para somente depois desse processo passar por atividades que exijam mais do seu condicionamento físico.

2. Pratique exercícios com orientação adequada

Com certeza você já ouviu falar em situações de academias superlotadas em que o educador físico mal consegue orientar o aluno em relação ao desenvolvimento de determinado exercício. Evite esse tipo de situação. Procure estabelecimentos e profissionais que demonstrem cuidado com o seu bem-estar. 

Sua saúde é valiosa, portanto, dê preferência a profissionais sérios que entendam o impacto que um exercício mal executado pode ter na vida do aluno. 

3. Alongue-se todos os dias

O alongamento tira a tensão muscular do seu corpo, melhora a flexibilidade, previne lesões, faz bem para a postura, é responsável pela preparação do corpo para a atividade física, ativa a circulação sanguínea e melhora a postura.

Portanto, para obter todos esses benefícios, você pode inserir os alongamentos em sua rotina diária. Escolha o momento adequado, coloque uma roupa confortável e pratique os movimentos respeitando os limites do seu corpo.

4. Busque manter o peso ideal

Assim como você já leu em outros artigos do blog, o sobrepeso é uma condição que traz uma série de fatores negativos para a saúde, um desses fatores é a sobrecarga das articulações, principalmente na região dos joelhos e quadris.

A sobrecarga que pode causar dor nos  joelhos e quadris é, inclusive, a causa do desenvolvimento precoce de doenças mais graves como a artrose – doença caracterizada pelo desgaste da cartilagem articular. Por isso, se você se encontra em quadro de sobrepeso ou de obesidade, fique atento aos sinais do seu corpo, a fim de não comprometer o funcionamento saudável das suas articulações e demais sistemas do organismo.

5. Utilize calçados adequados e confortáveis

O calçado que você utiliza deve estar condizente com a atividade física que você está desempenhando, portanto, antes de dar início a um tipo de exercício físico, faça uma breve pesquisa para entender qual o calçado mais indicado para aquela atividade. Aquilo que você calça interfere diretamente no impacto que suas articulações vão receber.

Se você puder, evite utilizar salto alto por horas. No entanto, se você precisar dos saltos para trabalhar, dê preferência aos modelos com plataformas e um pouco mais baixos. A orientação é usar saltos que deixem seus pés paralelos ao chão e alternar o uso dos saltos com calçados baixos. O uso desse tipo de calçado modifica o movimento durante a caminhada e pode ser prejudicial para os pés, joelhos e até mesmo coluna. A mudança na maneira de andar pode causar desgastes maiores na cartilagem dos joelhos, por exemplo, e causar a artrite.

6. Utilizar suplementação adequada

Para reduzir dores articulares que você já possui, ou mesmo prevenir lesões articulares e condições mais severas como artrite, artrose, bursite e diversas outras, você pode utilizar suplementos que possuem composições específicas para tratar essas situações. 

O Fisioterapeuta Rafael Vieira destaca a importância da suplementação: “Uma revisão sistemática que saiu há pouco tempo, conseguiu mostrar que existem suplementos que auxiliam no retardo do desgaste articular e na melhora das funções articulares. Essa revisão mostrou que condroitina, glucosamina e colágeno tipo II, juntos, são fortes aliados na prevenção e no tratamento das lesões articulares do corpo como um todo. Então você que pratica atividade física, busque ter uma boa alimentação, o acompanhamento de um bom profissional para a sua prática esportiva, um acompanhamento fisioterapêutico e uma suplementação.”

Estudos mostram ainda que a suplementação de colágeno tipo I e colágeno tipo II atua no sistema imunológico e controla a ação das enzimas que destroem o colágeno natural das articulações. Já os peptídeos bioativos de colágeno são absorvidos e estimulam a produção do colágeno, melhorando a qualidade de vida de quem sofre com dores nas articulações e auxiliando no combate à inflamação e à dor, além de atuar na reconstrução das cartilagens.

Para evitar a dependência de remédios para artrite e artrose, ou mesmo diversas outras doenças articulares, comece a cuidar-se agora. Opte por opções em que a junção desses e de outros  ativos vai reduzir o desgaste das cartilagens nas articulações, prevenir inflamações que causam e dar um verdadeiro boost na saúde das suas articulações.

7.Consuma alimentos anti-inflamatórios

Existem alimentos que ajudam a tratar processos de inflamação do corpo como um todo, logo, melhoram inflamações nas articulações. São eles os alimentos ricos em vitamina B (peixes, fígado, vegetais verdes, abacate…), ômega 3 (sementes e peixes), alimentos ricos em vitamina C (limão, laranja, abacaxi, acerola…) e alimentos como alho e açafrão. Fique atento(a) e busque implementar esses alimentos no seu cardápio diário.
Para entender de forma ainda mais técnica como acontecem as lesões articulares, assista em nosso IGTV o vídeo do especialista em Fisioterapia, professor e palestrante Rafael Vieira: https://www.instagram.com/tv/B9PEYP-HDx3/.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *