DicasSaúde

Compulsão alimentar: o que é, sintomas e tratamento

A compulsão alimentar figura a lista de transtornos alimentares. Também participam dessa lista a anorexia, bulimia, ortorexia, vigorexia e algumas outras.  Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), os transtornos alimentares afetam cerca de 4,7% da população brasileira.

Mas o que é compulsão alimentar e o que é comer de maneira exagerada?  Qual a diferença entre os dois? Os episódios de compulsão acontecem de maneira frequente, no mínimo duas vezes na semana e, quando acontecem, a pessoa simplesmente perde o controle, come grandes quantidades em um curto período de tempo e não para quando está com sensação de estufamento ou saciedade. Ou seja, a característica principal da compulsão alimentar é a falta de controle

Por outro lado, comer exageradamente significa que, naquele dia, você gostou bastante daquele prato e resolveu repeti-lo algumas vezes, ou que você estava com muita vontade de comer aquilo e resolveu passar um pouco da quantidade que lhe deixa satisfeito, mas em nenhum momento houve a perda de controle.

Ansiedade e compulsão alimentar

Sim, a compulsão alimentar pode ser um desdobramento da ansiedade, além de também poder ser ocasionada por estresse e depressão. Alguns outros fatores aos quais você precisa ficar atento e  que podem levar a um quadro de compulsão alimentar são:

  • Dietas restritivas;
  • Baixa autoestima e problemas com o peso;
  • Transtornos de imagem corporal;
  • Fatores genéticos;
  • Pressões sociais.

As dietas restritivas são responsáveis pela privação excessiva de alimentos, isso pode ocasionar processos de fome intensa e a necessidade/vontade de consumir determinados tipos de alimentos, que podem ser doces, frituras etc. Uma dieta, para ser efetiva, não precisa deixar o indivíduo passando fome, muito pelo contrário. A pessoa precisa ter uma alimentação equilibrada e com variadas opções ao longo de seu dia. Comer o alimento certo na hora certa é essencial para o equilíbrio alimentar e corporal, por isso é tão importante o acompanhamento de um profissional de nutrição.

Já o estresse, a depressão e a ansiedade podem funcionar como causas da compulsão alimentar quando os indivíduos que apresentam esses quadros passam a utilizar a comida como válvula de escape. Alguns dos sintomas da compulsão alimentar são: 

  • Comer mesmo sem fome;
  • Continuar comendo mesmo estando saciado e com sensação de estufamento;
  • Comer escondido;
  • Comer muito rápido;
  • Comer até passar mal;
  • Comer para compensar o estresse, a ansiedade ou a depressão;
  • Comer e se sentir culpado.

Maneiras de evitar a compulsão alimentar

É importante destacar que a compulsão alimentar deve ser tratada com a ajuda de nutricionistas, endocrinologistas,  psicólogos e psiquiatras. As causas que envolvem esse tipo de transtorno alimentar são variadas e precisam ser investigadas e tratadas em sua totalidade.

A alimentação variada, equilibrada e dividida de maneira regular e atrativa ao longo do dia é uma excelente aliada à prevenção. Evite a todo custo fazer dietas restritivas. Como foi possível ler acima, para emagrecer ou ter uma vida saudável, não é necessário passar fome, muito menos privar-se de comer coisas que você gosta.

Além disso, se você tem problemas com a sua imagem pessoal, ou mesmo sofre alguma pressão externa em relação à sua imagem, procure imediatamente acompanhamento psicológico para evitar que esse tipo de situação tome proporções danosas à sua saúde mental e física. Fatores psicológicos podem, muitas vezes, desencadear casos de compulsão alimentar, por isso, como forma de prevenir que algo como isso aconteça, você deve procurar acompanhamento psicológico e tratar as questões ligadas à sua autoestima, imagem pessoal, objetivos de vida, frustrações e muito mais. Quando a comida se torna sinônimo de conforto ou recompensa para as situações negativas que se tem vivido, esse passa a ser um caminho perigoso e que pode levar à compulsão alimentar. 

ATENÇÃO! Muitas condições físicas começam na mente. “Mas como assim?” Vamos dizer que uma pessoa vive um casamento infeliz e começa a achar que o problema está em sua imagem, ou seja, ela acha que o cônjuge já não a vê mais como uma pessoa atraente e bonita, e ela já não sabe mais o que fazer. Então ela começa a comer para encontrar conforto e prazer na comida, a partir daí começa o perigo. Uma situação como essa pode desencadear episódios de compulsão alimentar.

Em relação ao tratamento, a reeducação alimentar, o acompanhamento psicológico e as medicações prescritas pelos profissionais adequados são as melhores alternativas. Não busque remédios caseiros, receitas sugeridas na internet ou conselhos milagrosos de amigos. Procure profissionais que sabem o que estão fazendo e já possuem experiência o suficiente para lidar com a questão.

Fontes:

Portal Dráuzio Varela

Site – Dr. Victor Sorrentino

Portal Minha Vida

Deixe uma resposta